O que ver e fazer na Serra do Bussaco!

No centro de Portugal, fica a Serra do Bussaco: um local rodeado de natureza e história. Próximo à Coimbra, esta região tem muito o que explorar! Passei um fim de semana por lá e digo que já quero voltar para conhecer mais coisas!

Clique aqui para assistir ao vídeo

Palácio do Buçaco

Começamos nosso passeio num dos pontos mais famosos da região: o Palácio do Buçaco. A construção foi feita para revitalizar o Convento de Santa Cruz, construído em 1628. Deste convento, atualmente restam apenas a fachada, a igreja e o claustro. É possível visitar o espaço (o bilhete custa 2€) e conferir um pouco mais da história do local, que foi usado pela Ordem dos Carmelitas descalços até 1834. Inclusive, o Duque de Wellignton se hospedou neste convento durante a terceira invasão napoleônica em Portugal!

O Palace Hotel do Bussaco foi construído em 1888, em estilo neo manuelino, para os últimos reis de Portugal. Por conta de crise econômica, a ideia inicial foi abandonada e logo o espaço virou um hotel. E que hotel, viu? O Palácio do Bussaco parece um verdadeiro castelo de conto de fadas, cheio de detalhes lindos, com jardins incríveis e rodeado de uma natureza espetacular.

Mesmo que você não se hospede no hotel, pode caminhar à vontade pelo lado de fora e tirar belíssimas fotos do lugar! Quem quiser se hospedar no local e viver como a realeza, pode reservar um quarto aqui.

Mata Nacional do Bussaco

O palácio é rodeado pela Mata Nacional do Buçaco, com vários percursos sinalizados e muitas atrações para visitar. É uma delícia caminhar em meio à natureza só aproveitando a paz e admirando as muitas borboletas que cortam o seu caminho.

No percurso, passamos por algumas capelas que fazem parte do trilho Via-Sacra e também pela Fonte Fria, um dos cartões postais da mata.

Depois de algum tempo de caminhada, com muitas paradas para fotos, chegamos às Portas de Coimbra. Construídas em 1630, funcionava com uma das muitas portas do convento. Além da construção imponente, o local oferece uma bela vista da região!

Ali fizemos um piquenique para provar o leitão da bairrada, um dos pratos típicos da região. O menu ficou por conta do Rei dos Leitões e teve ainda espumante feito por ali.

A entrada na Mata Nacional do Bussaco é gratuita para quem vai a pé, 2€ para entrar de moto ou 5€ de carro. Todas as informações de preços, trilhos e outras atividades podem ser consultados no site oficial da fundação.

Praia Fluvial do Reconquinho

Seguimos para Penacova para conhecer a praia fluvial do Reconquinho, considerada uma das mais bonitas da Europa. Rodeada de natureza, o local tem toda a infraestrutura necessária para aproveitar bem um dia de calor: bar, banheiros, área para piquenique….

Esta praia ainda tem um atrativo extra: é ali que fica a única barca serrana que ainda navega pelo Rio Mondego. Batizado de Tareco (apelido familiar), a única diferença desta embarcação para os modelos tradicionais é o motor elétrico. É possível fazer um passeio no Tareco e aproveitar toda a calma do Rio Mondego enquanto descobre um pouco mais sobre a região. Os passeios são feitos pela Serranas do Mondego e custam a partir de 6€. Dá inclusive para fazer um passeio no por do sol com degustação de produtos regionais!

Caminhos da Batalha do Buçaco

Depois de relaxar no passeio de barco, fomos à descoberta da história da Batalha de Buçaco. Durante as Guerras napoleônicas, o exército francês invadiu três vezes Portugal, na esperança de conquistar o país. Inclusive, foi na primeira invasão que a família real fugiu para o Brasil!

Foi nesta região que aconteceu a terceira (e última) invasão napoleônica, onde os portugueses junto com os aliados ingleses saíram vitoriosos. Numa encenação especial, tivemos a honra de ser acompanhados pelo próprio General Wellington que nos mostrou o Posto de Comando de Wellington (onde é possível ver toda a região) e os Moinhos da Portela.

O local é lindo, com uma bela paisagem e conta até com um cenário especial para as fotos! Entre os vários moinhos, um deles é ainda mais especial porque ainda funciona e produz farinha. Esta farinha é usada pela Padaria do Largo, em Mortágua.

Quem quiser saber mais sobre a terceira invasão napoleônica em Portugal, pode ainda visitar o Centro Interpretativo da Batalha do Buçaco, em Mortágua. O pequeno espaço funciona como um museu interativo com várias informações sobre este período histórico. A visita é gratuita, mas convém ligar antes pra conferir os horários de abertura (telefone: 231 927464).

Quedas de Água de Paredes

Começamos o domingo fazendo o percurso das Quedas de Água de Paredes, um trilho com 7km (3,5km para cada lado). Como sou preguiçosa, fiz apenas a ida e voltei de carro! rs

O percurso é todo feito pela beira de um pequeno rio, então temos sempre como companhia aquele barulhinho de água delicioso. No trajeto ainda podemos ver as ruínas de vários moinhos de água, hoje em dia abandonados. O caminho é bem sinalizado e conta ainda com algumas áreas para piqueniques. No meio do percurso, passamos pela aldeia de Paredes, que tem algumas casas feitas em xisto.

Em geral, a trilha é fácil, apenas com alguns pequenos pontos mais difíceis, onde contamos com um fio para nos segurar. Mesmo eu, que não estou acostumada à fazer trilhas, fiz todo o percurso sem dificuldade nenhuma!

Dizem que o trilho leva 1h30 para ser feito, mas confesso que não sei quanto tempo demoramos para chegar às cachoeiras, já que paramos MUITAS vezes para tirar fotos, já que o percurso é lindo! Não só tirar fotos, mas trocar de roupa, fazer vários cliques, vídeos e muito mais! rs

No fim da trilha, a recompensa: as belas quedas de água de Paredes, que formam pequenas piscinas naturais. A maior cachoeira tem aproximadamente 30 metros de altura! No dia que fui, não estava muito sol nem calor, mas é possível mergulhar por ali! Isso se você não se importar com a água gelada, claro… rs

Depois da trilha, fomos almoçar no Porta 22, em Mortágua. O local reúne uma loja e um restaurante super charmoso, numa casa histórica da vila. As entradas estavam deliciosas e a sobremesa foi especial: fizeram até beijinho para mim! rs Mas a estrela foi mesmo o prato principal, típico da região: lampantana: carne de ovelha no vinho tinto cozida numa caçarola de barro.

O fim de semana na Serra do Bussaco foi todo organizado pela Portugal Green Travel que oferece experiências de viagens em vários lugares de Portugal. Adorei tudo o que fizemos, realmente pudemos descobrir coisas únicas na região!

Grande Hotel de Luso

Uma ótima opção para quem procura hospedagem na Serra do Bussaco e região é o Grande Hotel de Luso. Um marco na região com sua arquitetura Art Déco, o hotel é famoso pelas suas termas. O quarto que fiquei era enorme, com sala e banheiro super confortáveis, todo equipado.

Fiz duas refeições por lá: jantar e café da manhã, ambos servidos em esquema de buffet com uma boa variedade. Destaque para vista da sala de refeições: essa piscina olímpica, super instagramável! rs Infelizmente não tive tempo de experimentar as termas nem a piscina, terei que voltar para isso! Quem quiser se hospedar por lá, pode fazer sua reserva através deste link.

Adorei passar esses 2 dias na serra do Bussaco, percebi que tem muito o que ver e explorar por lá! Quem quiser se aventurar pela região, pode encontrar vários percursos no site da Região de Coimbra. Inclusive, eles tem organizado diversas experiências gratuitas por lá! Basta ficar de olho nas redes sociais e se inscrever com antecedência.

Reserve seu hotel pelo mundo aqui: http://bit.ly/2lTyOaR e encontre tours pelo mundo aqui http://bit.ly/2JZw4CZ. Usando estes links você não paga nada a mais e me ajuda a viajar mais e trazer ainda mais dicas para cá! ;)

bussaco portugal
Salve esta imagem no Pinterest!

Conteúdo patrocinado pela Região de Coimbra. Minha opinião e experiências são independentes e totalmente pessoais.

Também pode te interessar...

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Social Media

Vídeos

Instagram

Quem escreve